November 24, 2017

November 16, 2017

Please reload

Recentes
Siga -     nos
  • Facebook Basic Black
  • Black Instagram Icon
  • Twitter Basic Black

Biblioteca Virtual - Comunicação e Sustentabilidade

A comunicação empresarial da natura e o marketing de sustentabilidade.

Autor (a): Sílvia Izabelle Santos De Mendonça.

Resumo: Em um milênio de revoluções rápidas e constantes, as organizações buscam obter valores e realizar contribuições significativas para o meio ambiente a fim de construir uma imagem positiva e atraente na mente do consumidor através de estratégias de marketing de sustentabilidade, afetando assim o bem social e se tornando um “indivíduo” participativo e preocupado com o meio ambiente. Este trabalho estuda o cerne do marketing de sustentabilidade e sua aplicabilidade no caso da empresa Natura, organização esta que desde o nome, demonstra uma preocupação com o bem-estar social, pessoal e ambiental de seus consumidores. Com uma pesquisa de natureza exploratória, baseada em teorias de estudiosos em comunicação empresarial, são especificados os pontos cruciais do marketing sustentável dentro das estratégias comunicacionais das empresas, os conceitos e características da sustentabilidade e como ela aparece como uma das prioridades da empresa estudada.

 

Disponível em: http://security.ufpb.br/cj/contents/tcc/a-comunicacao-empresarial-da-natura-e-o-marketing-silvia-mendonca.pdf/@@download/file/A%20COMUNICAÇÃO%20EMPRESARIAL%20DA%20NATURA%20E%20O%20MARKETING%20-%20S%C3%ADlvia%20Mendonça.pdf 

 

A comunicação da sustentabilidade: um estudo da comunicação com a imprensa da Tractebel Energia S/A.

Autores (as): Aline Carlesso e Cristiane Maria Riffet.

Resumo: O estudo tem como tema a comunicação da sustentabilidade das empresas. A comunicação neste contexto é utilizada como forma de divulgar o compromisso das empresas com a sociedade, mas também como estratégia de estimular a boa imagem e reputação. O objetivo principal é analisar como o tema sustentabilidade é tratado nos releases da Tractebel Energia S/A enviados para a imprensa, além de identificar a forma e a frequência com que o assunto é pautado. Pretende-se também investigar as diferentes formas de abordar o tema e comparar se produzem mais releases com foco na dimensão social, ambiental ou econômica do tripé da sustentabilidade. Como técnica de coleta de dados foi feita uma pesquisa bibliográfica existente acerca do tema, uma pesquisa documental no site oficial da empresa e análise de conteúdo dos releases publicados no site. Conclui-se que a divulgação da sustentabilidade deve primar pela ética e transparência e divulgar as ações por meios de comunicação que atinjam o público-alvo definido. A empresa Tractebel Energia S/A utiliza a sustentabilidade como pauta frequente dos seus releases; dos releases analisados 87% aborda os temas de responsabilidade social e sustentabilidade, mostra assim que é um assunto muito utilizado no relacionamento com a imprensa.

 

Disponível em: http://www.bocc.ubi.pt/pag/carlesso-riffel-a-comunicacao-da-sustentabilidade.pdf

 

O discurso sobre meio ambiente e sustentabilidade em relatórios de sustentabilidade das empresas do Polo Industrial de Manaus.

Autor (a): Prof. Dra. Aline Lira.

Resumo: Esta tese tem por objetivo analisar os sentidos do discurso sobre meio ambiente e sustentabilidade em relatórios de sustentabilidade de empresas do Polo Industrial de Manaus. A pesquisa possui como base epistêmica e metodológica os estudos de discurso de acordo com o Círculo de Bakhtin. Para a sua elaboração também foram consideradas outras contribuições teóricas da área do meio ambiente, da sustentabilidade e da comunicação organizacional que permitiram a compreensão dos dados. Os dados gerados na pesquisa constituem-se de dez relatórios de sustentabilidade do ano de 2011 publicados nos sites das empresas 3M, Ambev, Coca-Cola/Recofarma, Honda, Gerdau, Grupo Simões, Philips, Semp Toshiba, White Martins e Whirlpool. A partir da década de 1960 as empresas passaram a ser questionadas por ambientalistas e por cientistas a respeito de suas práticas insustentáveis com relação ao meio ambiente. Para se posicionar em relação a esse discurso, essas organizações passaram a publicar balanços sociais que, atualmente, são publicados com o nome de relatórios de sustentabilidade. Assim, os resultados da pesquisa indicam que está havendo um deslocamento desse termo para relatório de sustentabilidade, em função do discurso sobre meio ambiente e sustentabilidade ter-se transformado em uma palavra-slogan (BAKHTIN, 2010b [1975]). Dessa forma, é possível que a mudança do nome de balanço social para relatório de sustentabilidade esteja marcando não só a mudança no gênero, mas, principalmente, mudanças sociais em curso. Apesar de as empresas indicarem que seus relatórios de sustentabilidade são direcionados aos diversos públicos com os quais elas se relacionam, os resultados da pesquisa indicam que o interlocutor prioritário desse documento é o acionista. Esse interlocutor, portanto, é constitutivo do relatório de sustentabilidade, e é em função dele que as empresas reacentuam os discursos sobre meio ambiente e sustentabilidade, criam álibis e apagam discursos que poderiam comprometer sua imagem. Além das vozes dos acionistas, foram identificados, nos relatórios de sustentabilidade, vozes das esferas científicas e ambiental e até da esfera jornalística, as quais as empresas reacentuam para dar conta de seus projetos discursivos. Assim, as empresas se posicionam favoráveis a desenvolver ações de meio ambiente e sustentabilidade, desde que isso represente não só uma imagem de si positiva, mas também retorno de capital com a promoção e venda de produtos verdes e redução de desperdícios, entre outros.

 

Disponível em:  https://repositorio.ufsc.br/xmlui/handle/123456789/129223

 

 

                                              

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

© 2017 por RP Compartilha.

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now